Em 21 de outubro de 2015, a então central de monitoramento de Praia Grande era reinaugurada como Centro Integrado de Comando e Operações Especiais (Cicoe), com a promessa de ser um dos mais modernos parques tecnológicos voltados à Segurança Pública da região. A expectativa se concretizou, transformando o Cicoe em referência no Estado e até mesmo no País. O número de câmeras instaladas à época, hoje, praticamente dobrou. É a tecnologia a favor da segurança.

Leia também

PAT está com oportunidade de trabalho para promotor de vendas

Praia Grande foi pioneira na Baixada Santista a investir em câmeras de monitoramento desde 2001, quando a primeira central e monitoramento da Cidade foi criada. Porém, mais do que dar o primeiro passo, a cidade manteve os investimentos e ao longo dos anos foi aumentando o número de câmeras até que o antigo espaço ocupado pela central, também no Paço Municipal, se tornou pequeno para tantos recursos dos quais dispunha e para a demanda que se apresentava.

Em 2015 o sistema contava com 1.530 câmeras, número já considerado expressivo. Porém, com novos investimentos, foi possível trocar os equipamentos analógicos por um sistema totalmente digitalizado, que já ganhou até prêmio.

Atualmente, no Cicoe são monitorados 2.925 equipamentos instalados em ruas e avenidas, viadutos, prédios públicos como escolas, unidades de saúde e sociais, além de equipamentos esportivos, a orla e áreas ambientais.

Leia Também

As áreas ambientais, inclusive, são o foco da Administração Municipal este ano no que diz respeito ao uso de câmeras e modernos softwares. Com tecnologia e monitoramento constante é possível inibir que áreas de preservação ambiental sejam invadidas e degradadas. “Desde o primeiro semestre estamos instalando equipamentos do tipo Domo, com zoom e giro de 360º, nestas áreas. Embora o objetivo seja de cunho ambiental, consequentemente os efeitos refletem em questões de segurança também. É um investimento que beneficia várias secretarias”, observa o secretário de Assuntos de Segurança da Cidade, Maurício Vieira Izumi.

A previsão, segundo Izumi, é que mais 69 câmeras com tecnologia OCR (reconhecimento de caracteres) sejam instaladas na Cidade nos próximos meses, sendo boa parte destinada justamente a estas áreas ambientais.

O local funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, com operadores da GCM e também da Polícia Militar e Secretaria de Trânsito, além de contato direto com a Defesa Civil do Município. Um dos destaques do espaço fica por conta do videowall composto por 24 monitores de 55 polegadas de alta definição. Todas as chamadas feitas ao 199 e 153 são atendidas nesta central e direcionadas às equipes de patrulhamento e atendimento de ocorrências.

Com o auxílio das câmeras, e de softwares como o OCR, inúmeros flagrantes já foram realizados tanto pela GCM quanto pela Polícia Militar, resultando em uma redução de mais de 60% nos índices criminais de roubo e furto de veículos especialmente.

Os resultados atraem representantes de várias localidades do Estado de São Paulo e até do País para conhecer os recursos e trocar experiências. Mogi das Cruzes, Ibiúna, Diadema, Londrina e Acre, além de municípios vizinhos, são alguns exemplos.

Pelo Cicoe também é possível acompanhar as imagens captadas pelas câmeras que foram instaladas recentemente nas viaturas da GCM e dos drones utilizados em operações especiais. “Trata-se de um sistema totalmente integrado, pensado para que as informações sejam aproveitadas da melhor forma possível”, garante o secretário.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários